Nós aliens

Este não era o post que tinha planeado para hoje, mas em conversa com uma amiga sobre como as coisas funcionam cá neste mundo dos blogs/youtube/instagram e mais alguma rede que se lembrem de momento, pensei, porque não expressar aquilo que penso e sinto no meu blog?

Não é de todo minha intenção criar polémica, já lá vai o tempo quando até achava piada a essas coisas, deve ser da idade, mas agora quero é estar longe disso, paz e sossego. Contudo há coisas que precisam ser ditas…

Nós que criamos conteúdo para a Internet devemos ser uma espécie de aliens, sim porque a maioria das pessoas não percebe muito bem o que fazemos e qual a importância que isso tem ou não… ainda há umas semanas houve uma polémica enorme com uma moça estrangeira (nem me lembro o pais), que propôs uma troca de serviços a um hotel, umas noites “grátis” em troca de publicidade (na minha opinião no momento que existe uma troca, não é grátis coisa alguma) o dono do hotel recusou a proposta em praça pública e a coisa descambou… (podem pesquisar mais sobre isso no Google que encontram facilmente). O certo é que lendo os comentários às noticias sobre o assunto serviu para ver como a maioria da população encara os criadores de conteúdo online: somos todos uns mimados que não fazem nada de jeito pela sociedade e vivem uma vida fácil de borlas. Não queremos pagar pelas coisas então achamos que por meter umas fotos giras temos direito a borlas. Sim resumindo é isto que a maioria das pessoas pensa.

Sou licenciada em publicidade e marketing, tenho a minha própria marca, sou também criadora de conteúdo, logo acabo por conseguir perceber se calhar um pouco melhor o panorama geral…

Acho que mesmo nos dias que correm ainda há muitas marcas e intervenientes no meio da comunicação que não encararam bem o valor dos criadores de conteúdo para o mercado, quanto mais a população geral…

Posso adiantar que sem este mundo online o provável era a minha marca não existir. A minha e tantas outras, marcas de outras criadoras de conteúdo que viram neste mundo digital uma porta aberta. A minha marca ainda é pequena e não criei postos de trabalho de forma directa, mas há outras marcas de criadoras de conteúdo que sim, que empregam várias pessoas, ora isso é fazer a diferença. No entanto não somos só nós que criámos negócios que contribuirmos de alguma forma para o mercado… desde que começaram os blogs que apareceram por cá imensas novas marcas/lojas, marcas essas que já tinham procura porque eram faladas justamente nos blogs e outras plataformas digitais. Será que teriam vindo para cá se não houvesse já essa procura? Quantos postos de trabalho isso gerou? Seja um blog maior ou mais pequeno, o certo é que sem eles a economia hoje em dia seria bem diferente e de forma seja directa ou indirecta, contribuíram para novos postos de trabalho.

Nós não vivemos de tirar fotos giras sem qualquer esforço, o que fazemos é criar conteúdo, tal como um programa de televisão ou revista. Criamos conteúdo dentro das áreas que gostamos e partilhamos o mesmo com quem gosta. Para isso necessitamos de equipamento, desde câmaras, telemóveis, computadores, luzes especiais de corrida no caso dos vídeos… é um investimento que é feito por gosto, porque o certo é que nem toda a gente paga as contas com os blogs, quem o faz é uma gota neste oceano. Não são os batons que recebemos que nos vão pagar a renda no fim do mês. Os batons, as calças e afins, são uma pequena compensação pela publicidade que fazemos às marcas. Claro que dá imenso jeito receber coisas “de borla”, eu admito que se não recebesse, não poderia estar a investir tanto dinheiro, logo não conseguiria mostrar tanta diversidade, contudo quando em 2009 comecei, investi 600€ em uma câmara de filmar (actualmente já vou na quarta câmara). Fi-lo porque queria gravar, porque achei giro, queria partilhar com outras pessoas o pouco que percebia de maquilhagem. Na altura nem se falava em parcerias e nem o Youtube dava opção de rentabilizar os vídeos cá em Portugal. Era puro amor à arte. Não que não seja hoje em dia, mas fico feliz que agora já se possa tirar algum beneficio do trabalho que temos.

Para os mais leigos vamos colocar as coisas deste modo, um programa de TV, contrata várias pessoas das mais variadas áreas necessárias, como conseguem dinheiro para pagar a essas pessoas? Com a venda do espaço publicitário. Ora nós ao criamos conteúdo online, temos de ser as nossas maquilhadoras, temos de arranjar quem nos fotografe (no caso dos looks), ou fotografar os produtos, no caso do Youtube temos de ser até câmara man, temos de aprender a editar seja fotos ou vídeo etc, etc, etc, ora acham que pedir algo em troca pela publicidade que ainda fazemos é querer viver de borlas?? Acham que é vida fácil? Convido então a fazerem o mesmo e quando estiverem ricos conversamos.

Não quero comparar o trabalho de um Youtuber a quem trabalha em TV , que estudaram para aquilo, claro que não, mas o certo é que a nova geração prefere os amadores do Youtube e disso, nós que criamos o conteúdo online, não temos culpa, quem tem culpa são os próprios canais que não se souberam adaptar e criar conteúdo mais atractivo (que eles próprios sim desvalorizam muito os profissionais excelentes que lá trabalham).

Só que também não acho bem esta desvalorização e gozo até que a sociedade faz de nós. Nós vamos jantar a algum restaurante “de borla” parecemos uns doidos a fotografar a comida, fica tudo a olhar para nós como se fossemos aliens, vamos tirar fotos de look, as pessoas olham como se fosse a coisa mais anormal do mundo… Se estivermos a gravar um vlog então…mas bom isto já é o estado normal da nossa sociedade, pois quando há acidente na estrada criam transito por ficarem a olhar…

Mas resumindo, ou talvez não, o certo é que um vídeo de 5 minutos tem umas 3 horas de trabalho em cima… um feed bonito do Instagram tem horas de edição de foto e planeamento…postagens de blog idem…

As coisas não são tão fáceis como parecem, a nossa vida não é sempre maravilhosa como parece, não que se queira enganar alguém, mas ninguém quer ver desgraças… há dias que estou com uma bruta neura, com imensos stress, mas mal ligo a câmara isso acabou, ficou lá fora, porque vocês não querem ver isso, vocês querem ver looks giros, sítios giros, querem alguém animado, porque para ver desgraças ligam o telejornal e stress já têm os vossos! A minha função é vos distrair, não vos maçar com os meus problemas… por isso por favor não pensem que somos uma cambada de miúdas mimadas que vivem à conta de borlas e que não sabem o que custa a vida.

Já por muitas vezes me passou pela cabeça, desistir, deixar o canal, o blog o instagram, porque às vezes é desgastante, porque eu não vivo disto, dou por mim a investir mais horas na criação de conteúdo do que na minha marca! Mas há algo mais forte do que eu que me faz continuar, o orgulho que sinto quando posto uma fotografia bonita, os vossos comentários…as mensagens…as amizades que já fiz… não sei quanto mais tempo andarei por aqui, mas pelo menos mais uns mezinhos vão ter de me aturar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This website uses to give you the best experience. Agree by clicking the 'Accept' button.